Reciclagem volta a aumentar em 2014 mas roubos persistem
Durante o ano de 2014, a Braval recolheu 14619 toneladas de resíduos recicláveis nos ecopontos existentes na área de abrangência da Braval (Amares, Braga, Póvoa de Lanhoso, Terras de Bouro, Vieira do Minho e Vila Verde). Em 2013 tinham sido recolhidas 14.460 toneladas, o que significa um aumento de 1,1%.
O ano de 2012 foi o único ano em que os resíduos recolhidos seletivamente, na área da Braval, diminuíram face ao ano anterior. Apesar de terem vindo a aumentar nos últimos dois anos, ainda não se atingiu a quantidade máxima recolhida em 2011: 15.154 toneladas.
Há que relembrar que a recolha seletiva iniciou-se no ano 2000, com cerca de 1000 toneladas recolhidas nesse ano, estamos agora na ordem das quase 15000 toneladas.
Os resíduos indiferenciados aumentaram ligeiramente 87.244 toneladas, mais 2872 toneladas do que em 2013, um aumento de 3%, recuperando os valores de 2012. Este aumento poderá traduzir uma estabilização no consumo das famílias.
A recolha de óleos alimentares usados estabilizou, foram recolhidos 70158 litros, ainda assim menos 377 litros do que em 2013, uma diminuição pouco significativa de 0,5%. Desde o máximo atingido em 2011, quando foram recolhidos 95000 litros de óleos alimentares usados, a quantidade recolhida foi diminuindo até estabilizar em 2014, devido sobretudo ao encerramento de muitos grandes produtores, cafés e restaurantes, aliada à diminuição do consumo nas famílias.
Em termos de Resíduos Elétricos e Eletrónicos e Pilhas houve novamente uma diminuição de 32 toneladas devida talvez à diminuição do consumo, mas também ao desvio ilegal de resíduos dos pontos eletrão, para os quais continuamos a alertar. Urge fazer algo que impeça que os sistemas concessionários, únicos legalmente autorizados para efectuar estas recolhas, sejam privados destes quantitativos de resíduos. Esta proibição e infração deverão estar previstas nos regulamentos municipais de resíduos ou, então, pela legislação nacional, de forma a desincentivar este tipo de comportamentos.
Enquanto munícipes, quando colocamos resíduos no ecoponto temos várias expetativas. A primeira, a preocupação ambiental, reciclar para não continuarmos a consumir recursos que não se reproduzem. A segunda, não menos importante, reduzir a factura do poluidor-pagador, gerar receita ao sistema para assim, pagar menos tarifa de RSU’s. Com estes desvios ilegais de resíduos, os munícipes vêem as suas expetativas de contribuir para a melhoria do Meio Ambiente e também de serem compensados na tarifa de poluidor/pagador, serem completamente defraudadas. Assim, apelo também à população que denuncie estas situações às autoridades.
No entanto, no caso dos pneus usados, continuam a aumentar tendo sido recebidas 1886 toneladas, mais 230 toneladas do que em 2013, um aumento de 13,9%.
A Braval felicita a população que tem contribuído para estes resultados, aqueles que separam os seus resíduos, colocando-os nos ecopontos, e apela a quem ainda não aderiu à separação de resíduos, que o passem a fazer. A crise tem levado a uma mudança de mentalidades e hábitos de consumo, que sirva também para uma maior consciencialização ambiental.

Logo Amares  logoMunicipioBraga  logo PLanhosoMunic Principal RGB cores semFundo   Logotipo TB Município de Vieira do Minho Vila Verde png


© 2015 BRAVAL - Valorização e Tratamento de Resíduos Sólidos, S.A.

Desenvolvido por: Denis Pereira